Auxílio Doença: 45,6% dos pedidos são negados pelo INSS.

Instagram
Quase metade dos pedidos de benefício por incapacidade são negados no Brasil.

 

O INSS informou que, em setembro de 2013, foram requeridos 397.632 benefícios de auxílio doença e aposentadoria por invalidez no Brasil, sendo que 181.333 deles tiveram suas perícias negadas. O número de recusas representa 45,6% do total de pedidos realizados.

 

Foto de mulher em uma cama de hospital, representando o amparo que pode ser proveniente do auxílio doença

 

É óbvio que o número de indeferimentos é exagerado, pois não seria possível acreditar que quase a metade dos segurados que pedem auxílio doença estão simulando uma doença inexistente.

 

Vale lembrar que não é exigida dos peritos do INSS uma especialização em relação à doença que estarão analisando. Também se verifica que a sobrecarga sobre os médicos é muito grande. As regras internas do INSS não permitem que se reconheça a incapacidade de trabalho a todos os que comprovam tal situação, pois isso traria um considerável “desequilíbrio financeiro” ao INSS.

 

Por outro lado, a falta de exames médicos adequados levados pelos segurados, atestados médicos sem os requisitos mínimos como a CID da doença, ou a data de afastamento do trabalho, entre outros detalhes, são elementos que causam o imenso número de perícias negadas.

 

Qual é o melhor caminho para conseguir o auxílio doença?

 

Buscar orientação de um advogado especializado que indique exatamente quais são os documentos necessários, bem como os exames médicos exigidos para cada caso é o melhor caminho para que seja buscada a efetivação do seu auxílio doença, na maioria das vezes acaba sendo mais vantajoso financeiramente do que fazer um exame errado, pegar o atestado incompleto e acabar perdendo o direito.

 

Vale ressaltar que na Justiça Federal os peritos são nomeados de acordo com a especialidade médica, sendo que o laudo médico feito a partir da perícia judicial é muito mais detalhado e é permitida a complementação de documentação caso seja necessário.

 

 Banner para clicar e tirar dúvidas previdenciárias. Clique nele para enviar suas questões.

Banner das nossas regras de uso de conteúdo. Clique nele e saiba como ter permissão para utilizar nosso texto em seu site ou blog.